SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número3Estudo da incontinência urinária em mulheres climatéricas usuárias e não usuárias de medicação anti-hipertensivaMitochondrial Metabolism, Free Radicals and Aging índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia

versão impressa ISSN 1809-9823

Resumo

CANIZARES, Juan Carlos Lara  e  JACOB FILHO, Wilson. Fatores de risco à senilidade na transição à aposentadoria. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. [online]. 2011, vol.14, n.3, pp. 425-432. ISSN 1809-9823.

Introdução: A aposentadoria, um dos principais desencadeantes de comprometimentos funcionais em quem envelhece, passa muitas vezes despercebida quanto a sua importância patogênica e, portanto, não recebe a devida prevenção e tratamento. Neste estudo levantou-se a hipótese de que a aposentadoria é um processo gradativo de perdas que se relaciona com o envelhecimento patológico. Objetivo: Detectar fatores psicológicos e sociais da aposentadoria determinantes no envelhecimento patológico. Casuística e Métodos: Durante o ano de 2008, 79 funcionários do Hospital das Clínicas de São Paulo, em transição à aposentadoria, foram convidados a preencher um questionário geral de opinião, de múltiplas opções de respostas, sobre fatores psicossociais da aposentadoria que melhor expressam os sentimentos e emoções perante a proximidade desse evento. Resultados: Da população de estudo, a aposentadoria afeta mais a estrutura psicológica dos homens, dos mais jovens, dos que têm menor nível de autoridade no cargo e menor nível de escolaridade. As dificuldades decorrentes do afastamento do trabalho são maiores para sujeitos mais velhos, para as pessoas com menor nível de autoridade e para pessoas com menor nível de escolaridade. A mudança de ritmo de vida decorrente da aposentadoria afeta mais sujeitos com menor nível de autoridade, e a possibilidade de surgirem conflitos após a aposentadoria é maior em sujeitos com maior nível de escolaridade. Conclusão: A aposentadoria é um processo gradativo de perdas que produz instabilidade emocional, com consequências nocivas ao futuro. Quanto menor for a idade do sujeito que se aposenta, maior o impacto desse evento. Sujeitos com maior escolaridade e nível de autoridade têm melhor adaptação à mudança e capacidade de lidar com as dificuldades na transição à aposentadoria.

Palavras-chave : Aposentadoria; Fatores de risco; Senilidade prematura; Trabalho.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português